Capa / Crônicas & Invenções / – O aerador de vinhos –
– O aerador de vinhos –

– O aerador de vinhos –

Foi na Bodega Casas del Bosque, no Vale de Casablanca, que pela primeira vez eu tive contato com uma engenhoca dessas: um aerador de vinhos. E era dessa marca, Centellino. Nesse fatídico ano de 2015, que se arrasta para o fim, há poucas boas recordações para serem levadas adiante e uma delas é o aerador de vinhos que eu conheci…

Eu sempre digo que a complexidade do prazer que o vinho desperta vai além do sétimo sentido, de modo que, mais uma vez, ele se classifica naquela velha e certeira frase: “As melhores coisas que há na Vida não são coisas!”

CentellinoSonhoMas o aerador de vinhos é uma coisa, é certo. Custa dinheiro, não é tão barato, para muitos não é nada barato, mas a impressão que ele provoca em cada um, essa é algo que mora na fronteira do sonho e da assimilação subjetiva de cada pessoa: o brilho violáceo do líquido que passa por ele, o ritual da aeração chega a dar a impressão de que há alguma alquimia que transcende a esfera do aerador…

Comandei um jantar outro dia na casa de uma amiga querida que me pediu para que eu harmonizasse com vinho a ocasião, e não havia melhor momento para eu divertir um pouco os meus amigos: levei meu aerador de vinhos Centellino. Pronto! A reação dos convidados foi de espanto e alegria. As mulheres arregalavam os olhos, num gesto de aprovação, que pronunciou um sorriso de espanto e admiração. Os homens fizeram piadas, alegando que o aerador deixava a dose mínima…

Comigo foi assim: numa degustação de rótulos da Bodega Casas Del Bosque, o sommelier guia que comandou a degustação apareceu com um aerador de vinhos Centellino, que, de forma maestral, instalou o objeto na garrafa do vinho que fora apresentado como o “top de linha” da bodega. A minha reação e a dos demais casais foi de espanto, e, entre risos, o jovem sommelier chileno solta uma debochada explicação:

“Sirve para airear el vino!” – E faz uma cara de comediante…

E depois, vendo a reação de risos da sala, acrescenta:

“En la verdad, no sirve para nada, pero es lindo, es divertido, es divertidísimo!”

Foi quando o povo caiu na gargalhada.

Minha opinião? Serve para tudo, inclusive para fazer aquele “showzinho” para a mulher que se deseja impressionar, como para plantar momentos na cabeça dos seus convidados que eles jamais esquecerão. – E sim, serve para aerar o vinho também!

CentellinoObjetoTecnicamente, o processo de aeração existe para favorecer a exposição do vinho ao ar: há um consenso de que os vinhos tintos jovens, de tanicidade alta, portanto bem estruturados, ao terem contato com o ar, amaciam os taninos e “vestem” a “fantasia da elegância”, ou seja, ficam mais macios, mais fáceis de beber. Assim, algumas recomendações como a de se abrir uma garrafa de Borgonha e esperar 1 hora antes de beber, por exemplo, podem ser abreviadas pelo aerador de vinhos.

Há muitas marcas, Centrillo é uma delas. Se é a melhor ou não, vai de cada um. O meu me faz muito bem.

O fato é que a invenção dessas engenhocas promete, através de um processo conhecido como “turbilhonamento”, oxigenar o vinho em um curto espaço de tempo.

Após a incorporação do oxigênio ao vinho, os aromas apresentam-se e o vinho abandonaria a agressividade, tornando-se elegante e fácil de beber.

Essas engenhocas são indicadas para o vinho tinto, mas há quem use para os brancos também, como eu faço com os meus Gewürztraminer.

Para lavar, bastante água. Só. Nada de detergentes. Deixar secar naturalmente.

Importante: Aeradores de vinho não são indicados para grandes vinhos de guarda envelhecidos. Tais vinhos merecem uma decantação clássica, que não consiste em simplesmente despejar o vinho num decanter, há todo um processo bastante complexo e que poucos sabem executar. A decantação é um processo de um vinho raro, caro e para poucos, mas essa é uma outra estória.

Vinho caindoAo abandonar o Chile, não achei o aerador para comprar. Na verdade, o Centellino é de fabricação italiana. Fui encontrar num empório aqui perto de casa mesmo, o Frei Caneca, em São Paulo. Comprei assim que o vi, depois de uma ligeira sensação de que o mundo acabar-se-ía se eu não o tivesse.

Bem, então é isso, pessoal. O aerador de vinho serve para deixar as pessoas felizes, mais do que aerar o vinho, serve para agradar e criar ilusões…

E são essas coisas que a gente leva dos tempos de crise como esses, o que os franceses chamam de “la joie de vivre” e que a Hebe Camargo sempre dizia, ao deixar o seu programa na TV: “Alegria de viver!!!”

 

Para acessar o site da Bodega Casas Del Bosque, Clique Aqui

Para acessar o site da Centellino, Clique Aqui

Para acessar o meu roteiro sobre o Empório Frei Caneca, Clique Aqui

Sobre Luciano Duarte

Luciano Duarte

4 comentários

  1. Luana Cristina Ireijo

    Ola Luciano!! Adorei, mas adorei mesmo sua definição para o aerador! Simplesmente vc definiu tudo aquilo que eu penso sobre essa “engenhoca”!! Todos os detalhes, quando vc diz, que as pessoas ainda não o conhece e como esse pequeno e simples objeto faz as pessoas se apaixonarem!! Uma pela transformação
    que ele faz no vinho, outra pela sensação de chiquete! A ilusão vc definiu isso também, enfim, fiquei sua fa! Parabens! Eu tive essa experiência uma vez, mas por querer comprar um pela internet eh que fez eu achar seu blog. bios!

  2. Acabei de voltar do Chile e lá no Estância El Cuadro foi a primeira vez que me deparei com esse aerador. Me arrependi muito de não ter comprado lá, pois achei um pouco caro, 150 reais. Pensei que acharia facilmente aqui mas vi que não é bem assim… não vejo a hora de ir no Frei Caneca e adquirir o meu. Sua descrição do aerador foi ótima, isso é magia pura!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top